Filhos X Pais


Chegou março e , conforme previsões de meteorologistas, vai continuar o calor, como se o outono nem estivesse chegando.

O que fazer com as crianças que ainda pensam que estão de férias? Como fazer para elas se alimentarem saudavelmente? Férias até combina com comer alguma extravagância, mas agora que começaram as aulas?

Na hora de sentar à mesa, tenha sempre uma coisa na cabeça: se a criança estiver com fome, ela vai comer! É importante que você respeite as vontades do seu filho e nunca o force a comer o que não quer.

Se seu filho torce o nariz para brócolis, cenoura, tomate e afins o que fazer? Sim é possível reverter a repulsa pela porção mais colorida do prato e uma das melhores estratégias para alcançar o feito é envolver os baixinhos o quanto antes no preparo das refeições.

É muito importante, também,que a criança faça as refeições junto com os adultos. Quando os pequenos estão comendo com os pais, eles tentam imitar os mais velhos. Assim, aprendem o que pode e o que não pode ser feito durante as refeições.

Se você faz parte do grande grupo de pais que convivem com este problema, a Recofran vai lhe dar algumas táticas para estimular o mestre-cuca mirim e, assim, colocar frutas, verduras e legumes na rotina do pequeno de maneira bem natural.

1 – Aprenda junto com seus filhos

Se os pais não sabem cozinhar, as crianças se identificam com a dificuldade deles e adoram isso. O esforço coletivo tende a estimular ainda mais a criança a botar a mão na massa e experimentar diferentes pratos.

2 – Tenha uma visão positiva sobre os vegetais

Geralmente, os adultos acham que os filhos não gostam de comer frutas, verduras e legumes em razão de alguns “narizes torcidos” anteriormente. Daí, a tendência é oferecer esses itens de um jeito meio, digamos, desanimador ou ainda mandatório. Pois tente agir de modo diferente, com empolgação.

Também é importante não tratar a sobremesa como moeda de troca, dizendo: “Só vai ganhar um pedaço de chocolate se comer tudo”. Ao fazer isso, parece que a refeição principal é tão horrível, que é necessário um agrado depois.

3 – Sugira o preparo de pratos de uma cor especial

Aproveite as possibilidades das cores dos alimentos para criar desafios que envolvam as receitas. Na hora das compras, vale propor a procura de elementos para fazer uma refeição toda roxa e questionar o filho sobre as transformações que o alimento sofrerá até ficar pronto: será que a cor muda na hora de cozinhar? E a textura?

4 – Mantenha uma horta caseira

A criança vai se sentir mais motivada e importante se ela for comer uma verdura plantada ou cuidada por ela mesma. Podem ser até temperos ou ervas aromáticas.

5 – Aproveite pequenos momentos do cotidiano

Convide a criança para tarefas simples, como montar a lancheira da escola. Dar algumas opções para eles escolherem, ajuda a desenvolver autonomia e senso de participação. Os pais que trabalham fora, podem dedicar uma noite ou um período do final de semana para preparar uma receita com a garotada

6 – Faça da comida um assunto divertido entre vocês

Quando puder, leve as crianças ao supermercado, à feira e comente com elas sobre o cardápio dos personagens dos desenhos favoritos.

7 – Prepare refeições temáticas com eles

Se há um pequeno leitor em casa, proponha receitas inspiradas nos seus livros prediletos – como os feijões mágicos do bruxinho Harry Potter. Outra fonte de ideias é o mapa-múndi.

8 – Resgate as comidas favoritas da família

Cozinhar é um momento muito bom para compartilhar histórias familiares, até mexer num caderno de receita vem velhinho. Vale lembrar o almoço com o avô, a fruta da infância da mamãe e por aí vai…

9 – Ensine que cozinhar é um ato de amor

A culinária é uma atividade cheia de significados, e preparar o cardápio é uma maneira de compartilhar cooperar com os próximos, sejam eles parentes ou amigos, além de criar lembranças especiais para a vida toda.