O segredo do bem-estar chama-se equilíbrio alimentar


Ter uma alimentação variada, com diversos grupos alimentares é a melhor maneira de manter o corpo saudável e livre de qualquer enfermidade: O importante é o equilíbrio e variação de alimentos diários.

Controlar a fome é o objetivo de todo mundo que começa a fazer dieta. Por isso, os alimentos ricos em fibras alimentares são tão indicados e consumidos no dia a dia.

Elas estão presentes em alimentos naturais, como vegetais, frutas, grãos e sementes, além dos principais produtos integrais e garantem a saciedade que o corpo precisa. No entanto, para elas produzirem bem esse efeito em nosso organismo, é necessário manter um estilo de vida saudável e um plano alimentar equilibrado. As fibras alimentares são um tipo de carboidrato que não é digerido pelo organismo, ou seja, não se transforma em calorias para o nosso corpo. Isso aumenta o período de saciedade: Agem trazendo benefícios para o funcionamento intestinal e prevenindo a constipação, além Elas também de dar saciedade, ajudar na digestão e ser alimento para as bactérias benéficas do intestino, que favorecem o emagrecimento.

Sem excessos, alguns alimentos possuem boas concentrações de nutrientes, mas, precisam ser controlados, porque podem ter quantidades de substâncias nocivas bem acima do recomendado (calóricas, gorduras, açúcares, sódio, etc), gerando um efeito contrário ao nosso organismo.

- Café: ele nos ajuda a manter o sistema imunológico saudável, melhora o humor e garante energia ao longo de um dia cansativo e cheio de atividade. Porém, com cautela! O consumo ideal de café é de 3 a 4 xícaras por dia, não ultrapassando 400 mg de cafeína.

- Chocolate: Saudável, ele possui alto nível de flavonoides que tornam a saúde cardiovascular mais forte e ajudam a acelerar o metabolismo. Para inclui-lo como sobremesa, dê preferência pelas versões que possuem 70% ou mais de cacau, mas não exagere na quantidade.

- Carboidratos: Eles geram energia, fazem bem ao coração e beneficiam o cérebro, porém, quando não consumidos de maneira correta, podem ajudar no ganho de peso. Encontrado nas massas, pães e arroz, por exemplo, a quantidade, por dia, não deve ultrapassar 6g.

O que pode comer à vontade?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o consumo de frutas, hortaliças e verduras frescas, em uma quantidade aproximada de 400 g/dia.

Frutas: Banana, morango, laranja, limão, uva, melancia ou seja qualquer outra de sua preferência, as frutas são alimentos ricos em fibras alimentares, que ajudam a saúde do coração e também facilitam o trânsito intestinal. Esse grupo alimentar também é conhecido por sua alta concentração de vitamina C, substância responsável por manter o sistema imunológico fortalecido, ou seja, livre de doenças e enfermidades, como gripes e resfriados.

- Proteínas: Seja de origem vegetal (soja, oleaginosas) ou de origem animal (carne, queijos, leite), as proteínas atuam na síntese dos nossos músculos, garantindo assim um desenvolvimento natural e saudável.

- Verduras e hortaliças: Brócolis, couve, espinafre, batata doce, abóbora e tantos outros pertencentes desses grupos se tornam fundamentais. Eles são ricos em minerais como cálcio, ferro, magnésio e fósforo que auxiliam na prevenção da anemia, no fortalecimento de ossos e músculos e melhoram o funcionamento do cérebro, ativando a memória e o raciocínio lógico.

O que evitar?

Cuidado: quanto menos alguns alimentos estão presentes, mais saúde teremos ao longo da vida. Eles podem ser os responsáveis pelo aparecimento de doenças.

- Álcool: O consumo frequente de bebidas alcoólicas diminuem as funções do fígado, prejudicando as células e podendo levar ao desenvolvimento da cirrose. O álcool também prejudica as capacidade cerebrais, causando alterações de humor. Ele não é proibido, mas deve ser consumido com cuidado e, sempre que possível, prefira sucos naturais.

- Gorduras trans: Encontrada nos sorvetes, salgadinhos, batatas congeladas e margarina, por exemplo, essa gordura aumenta os níveis de colesterol "ruim" no corpo, o LDL, aumentando os riscos de desenvolvimento das doenças cardiovasculares.

- Alimentos industrializados: Eles carregam consigo uma infinidade de conservantes e aditivos químicos que prejudicam a nossa saúde e, podem ainda, atrapalhar a absorção de outros nutrientes.